Vou-me embora, seus panacas!

Vou-me embora pra Brasília
Lá sou amigo do rei
Lá tenho cargo que quero
Na estatal que escolherei

Vou-me embora pra Brasília
Vou-me embora pra Brasília
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconsequente
Que Gilma, a louca estranha
Rainha e falsa demente
Vem mesmo ser conivente
Com a sórdida roubalheira
E como farei ginástica
Eleitor é burro brabo!
Subirei a diretor e
Tomarei o meu lugar!
E quando estiver cansado
E com medo da polícia
Quando de noite me der
Medo de alguém me pegar
Mando chamar um laranja
Pra depois contar histórias
Que no tempo de eu menino
Ninguém ia acreditar.

Vou me embora pra Brasília.
Em Brasília tem de tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a condenação
Tem propina, tem agrado
Tem contrato fraudulento
Tem empreiteiros ricaços
Para a gente faturar

E quando eu estiver rico
Mas rico de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de viajar

Lá sou amigo do rei!
Vou-me embora para a Itália
Para gastar o dinheiro
Que da Petrobras roubei

Vou-me embora, seus panacas!

Não é possível que a revista “Veja” saiba de uma coisa e o governo não saiba quem é que está envolvido. Pedi primeiro para a PF, que me disse: não posso entregar, a investigação está em curso e peça ao MP. E o MP me disse a mesma coisa: se ele me disser, ele contamina a prova. Se ele me disser, ele contamina a prova.

Dilma Rousseff, criticando decisão do Ministério Público de não entregar o ouro ao bandido, dando-lhe acesso privilegiado ao depoimento de Paulo Roberto Costa.

Vai que ela sabe, o cara morre e ela nem tinha idéia de nada…

As investigações sobre o caso vão continuar, independentemente das considerações políticas e eleitorais no Brasil que o caso possa ter. Na Suíça há uma lei e se cumpre.

Didier Burkhalter, presidente da Suíça, em coletiva de imprensa, sobre as contas de brasileiros ligados à Petrobras em bancos na Suíça.

Este paraíso fiscal está virando um inferno para as quadrilhas que se apossaram da Petrobras.

Isto ainda vai feder…