Eu Dominante

Para o eu dominante
Só importa quem tem culpa
Ele sempre põe a Lupa
Vendo formiga gigante

E o sutil fluxo de tudo
Passa por despercebido
E tu, cego e iludido
te iludes, como me iludo

Desejo: não sentir culpa.
Ou assumi-la por inteiro
Consigo trava uma luta:

Quem fez aquilo primeiro?
E ao cabo desta disputa
Só se salda desespero.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *