iTech Hoje 60: One more thing…

itechhoje:

Um bate papo sobre os novos lançamentos da Apple: iPhone 6, iPhone 6 Plus e iWatch.

Áudio deste episódio para download. Assine o nosso feed no iTunes.

Assuntos Mencionados:

Doe um Café:

ITech hoje novo na parada!

A Vale só foi privatizada no universo fantasioso do direito empresarial. Seu controle acionário é exercido por fundos de pensão de estatais e pelo BNDES. No mapa de projetos financiados pelo BNDES em território brasileiro, aparecem cerca de R$ 20 bilhões destinados à Vale. Um novo financiamento, para o Complexo Carajás, elevará o total a mais de R$ 26 bilhões. O governo tem ações especiais, as golden share, que conferem direito de veto nas decisões estratégicas da empresa. Ferreira é o interventor informal do governo na Vale, alçado à presidência em operação articulada entre o BNDES e os fundos de pensão, que derrubaram Roger Agnelli. Quando ele move os lábios, quem fala é Lula.

Demétrio Magnoli, escrevendo para a Folha.

Individuação

Para alguns, é realeza
Para outros, é loucura
Para uns é dia claro
Para outros, noite escura
Para uns é impostura
Para outros, consciência
Para uns é evolução
Para outros, decadência
Para uns, mediunidade
Para outros é delírio
Onde uns vêem Salomão
Outros apenas o lírio
Uns se espelham pelo sim
Se ressentem pelo não
Tudo que lhes nega é ruim
Pálida aparição
Que todos pensam que são
Reflexo do destino
Que eles jamais cumprirão
Para uns é heresia
Para outros, salvação.
Para uns, a poesia
É falta de ocupação
Pra outros, revelação…
Quem tu és? Uns ou outros?
És delírio ou és razão?
És caminho ou és prisão?
Destino, ou ilusão?
Ouve a voz do coração
Ela te diz, suave:
Tu és um, não és outros
Teu caminho é apenas teu.
Observa os descaminhos
E as chances que Deus te deu
Pra te veres por inteiro
E dizeres, com verdade
Sou aquele que vos fala
Do centro da minha cidade
De toda a população
Que me habita, que me é
Sou Aquele que fez meu mundo
Do cabelo à ponta do pé.
Sou aquele a quem Deus disse
“Façamos!”, e descansou.
Sou aquele que do mais fundo de si mesmo diz:
EU SOU!

Alexandre Costa e Silva
(11/09/2007)

As investigações sobre o caso vão continuar, independentemente das considerações políticas e eleitorais no Brasil que o caso possa ter. Na Suíça há uma lei e se cumpre.

Didier Burkhalter, presidente da Suíça, em coletiva de imprensa, sobre as contas de brasileiros ligados à Petrobras em bancos na Suíça.

Este paraíso fiscal está virando um inferno para as quadrilhas que se apossaram da Petrobras.

Isto ainda vai feder…

As grandes fogueiras da Igreja apagaram-se no passado, ainda que suas brasas continuem queimando aqui e ali. No Ocidente, as fogueiras do último século foram acesas por Estados totalitários que falavam a linguagem da Razão.

A URSS de Stálin e a China de Mao eliminaram milhões de pessoas em nome da Ciência da História, que decifrara o enigma do futuro da humanidade.

A Alemanha de Hitler construiu as engrenagens do exterminismo sobre o alicerce da Ciência da Raça, que prometia a salvação nacional no Reich de mil anos.

O fanático da Razão, tanto quanto o da religião, quer um governo que administre as almas, não as coisas. Na democracia, contudo, as almas não fazem parte da esfera de autoridade do Estado.

Demétrio Magnoli, criticando a demolição da imagem de Marina operada pela polícia de opinião do petismo.

É por esse motivo que para o liberal os ideais morais, bem como os ideais religiosos, não podem ser objeto de coerção, enquanto conservadores e socialistas não reconhecem esses limites.

Às vezes, penso que o atributo mais marcante do liberalismo, que o distingue tanto do conservadorismo, quanto do socialismo, é a idéia de que convicções morais quanto a questões de conduta que não interferem diretamente com a esfera individual protegida pela lei não justificam a coerção dos demais.

Isso também pode explicar por que parece muito mais fácil para o socialista arrependido encontrar um novo lar espiritual entre os conservadores do que entre os liberais.

Olha aí Friedrich Hayek explicando Lobão.

Jamais existiu período em que os liberais tivessem encontrado sua realização plena e em que o liberalismo não esperasse um aperfeiçoamento ainda maior das instituições.

O liberalismo não é contrário à evolução e à mudança; e, nos casos em que transformações espontâneas são asfixiadas pelo controle governamental, advoga profundas reformas na política de governo.

No que diz respeito à maioria das atividades governamentais, no mundo de hoje, os liberais não têm por que preservar a situação como está. Na verdade, o liberal acredita que o mais urgente e necessário em quase todo o mundo seja a eliminação completa dos obstáculos à evolução espontânea.

Friedrich Hayek, em seu célebre artigo porque não sou conservador

Macaco bom prefere dar o troco

Meu avôzinho, hoje falecido, o saudoso Tenente Adauto, costumava dizer sabiamente: “Xingue todos os seus amigos de corno e viado, menos os cornos e os viados.”

A atitude da torcida do grêmio para com o goleiro Aranha foi deplorável. Comportamento de bando. Dai a ser crime, tem uma distância.

Do ponto de vista científico somos, sim, um bando de macacos. E os mais violentos que o mundo já viu. O mundo criado por ofendidinhos é o mundo do politicamente correto, em que ninguém pode ter senso de humor ou xingar certos grupos sem ser literalmente apedrejado.

Luciano Huck entrou nessa pra vender souvenirs, e posar de bom moço. Este é o negócio dele, vá lá. Mas o fato é que a forma como Daniel Alves lidou com essa provocação estúpida da torcida é muito mais criativa do que a do goleiro Aranha. Aliás, chamar de Aranha, um bicho bem mais repulsivo, pode; chamar de macaco é crime? Ah, vá!

Pra quem não lembra, Daniel pegou a banana que lhe jogaram nos pés e simplesmente comeu. Posteriormente, fez um gol, e venceu a partida. É assim que se responde a provocação: com bom humor e excelência.

Mas tem macaco que só tem pra mostrar mesmo é beicinho e vitimização… Eu prefiro os macacos poetas, filósofos, cientistas, músicos e jogadores que não são agressivos nem posam de coitados: fazem seu trabalho e mandam seu recado, com maestria.

Seja de que cor for a sua pele.

O que a sabedoria popular do meu avô quer dizer é que você pode xingar quem tem a dignidade e a resiliência de não se ofender.

O conceito de “raças” hoje só faz sentido pra quem quer auferir dele privilégio.