Nunca a alheia vontade, inda que grata, Cumpras por própria. Manda no que fazes, Nem de ti mesmo servo. Niguém te dá quem és. Nada te mude. Teu íntimo destino involuntário Cumpre alto. Sê teu filho.

Fernando Pessoa, mais uma vez… 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *